História

Tudo começou da idéia de criar uma escolinha de tamborim no intuito de oferecer oportunidade àqueles que sonham em desfilar em uma bateria de escola de samba. A princípio, a idéia era meio irreal, já que eles queriam muito mas não sabiam como, não tinham a estrutura necessária, talvez nem eles mesmos acreditassem que pudessem começar e se dar bem… Mas um grupo de sete amigos que são amantes do carnaval e desfilantes inveterados das baterias de escola de samba resolveram investir na idéia e tentar. Mestre Ricardinho (como é conhecido até hoje) já tinha uma experiência anterior de tentar criar uma escolinha de percussão quando foi diretor de tamborim da Estácio de Sá no carnaval 2000, mas lá a iniciativa não deu certo. Com um grupo maior de frente da idéia, iniciaram o planejamento e em 05/05/2002 foi fundada a Escolinha de Percussão Tamborim Sensação, carinhosamente chamado de TS, e a partir daí, a idéia de formar um grupo de novos ritmistas, com o perfil de uma grande família foi se tornando realidade. O início foi extremamente difícil, com a presença de apenas 1 aluno durante um mês. Divulgação via internet, contatos aos amigos mais próximos para que aparecessem nas aulas e muito desgaste emocional para manter acesa a chama do trabalho que se iniciava, e aos poucos o trabalho começou a frutificar, com quase 80 alunos nos três meses seguintes. A partir daí, o projeto que no início contava com sete colaboradores diretos foi ao longo do tempo perdendo a participação de alguns, devido ao tempo e dedicação que estava exigindo de todos e a abdicação do lazer aos sábados.

Aos poucos, os amigos que continuaram engajados na idéia do projeto foram descobrindo que a paixão pelo carnaval e pela bateria de uma escola de samba poderia reunir muito mais adeptos do que eles imaginavam. O projeto cresceu de forma espetacular e já persiste por quase uma década fazendo um trabalho de grande qualidade, reconhecido no meio. Hoje, dos sete integrantes iniciais, apenas Ricardinho leva à frente o trabalho do TS, pois problemas pessoais acabaram afastando os últimos dos seus amigos que o ajudavam nessa empreitada, mas ele segue em frente, com coragem e perseverança, sabendo da responsabilidade que o trabalho que desenvolve tem perante a comunidade do samba.

A trajetória de Ricardinho no samba:

  • Começou sua jornada em 1994 frequentando a bateria da Vila Isabel, depois de ganhar seu 1º tamborim do padrinho;
  • Em 1995 faz seus primeiros desfiles na Sapucaí, pela Lins Imperial, Difícil é o Nome, Em Cima da Hora e Vila Isabel;
  • Em 1996 é convidado para representar o Brasil no Japão pelo grupo Rio Samba Show, (fato que se repete em 1997). Também no ano de 1996, Ricardinho assume a coordenação da ala de tamborins da Lins Imperial pela 1ª vez, onde segue até 1998.
  • Em 1999, Ricardinho foi convidado por Mestre Ciça a integrar a bateria da Estácio, coordenando também a ala de tamborins, trabalho que se seguiu em 2000 e 2001;
  • Em 2000, é convidado por Mestre Celinho (antigo mestre da Unidos da Tijuca) a coordenar a ala de tamborins da Unidos da Tijuca, num trabalho que marcou história dentro do carnaval carioca, com uma ala de tamborim respeitadíssima, com “desenhos rítmicos” e coreografias conhecidas e repetidas até hoje. Ele esteve à frente da ala nos carnavais 2000, 2001, 2002, 2003, 2004 e 2005 e deixou seu nome marcado na escola;
  • Em 2003, Ricardinho é convidado para assumir sua 1ª bateria como mestre, e assim Mestre Ricardinho assumiu a bateria da Paraíso do Tuiuti nesse carnaval estreando na avenida com todas as notas máximas. Ricardinho seguiu à frente da bateria da Paraíso do Tuiuti ainda pelos três carnavais seguintes (2004, 2005 e 2006). Em 2006 ganha seu 1º prêmio Sambanet de melhor bateria pelo grupo B.
  • Em 2005 também, Mestre Ricardinho foi convidado a oferecer um workshop na Argentina, nas cidades de Eldorado e Iguazu, para jovens das comunidades locais apaixonas pelo samba do nosso Rio de Janeiro.
  • Em 2007, Ricardinho foi convidado a integrar a escola de samba Arranco, onde faz um excelente trabalho faturando todas as notas máximas, mais um Sambanet (dessa vez pelo grupo A), Prêmio Jorge Lafond, Prêmio O Carnaval Carioca, Prêmio A Bagaça, e Prêmio Plumas e Paetês. Em 2007 também, Ricardinho conhece o projeto Baqueta Clube de Ritmistas, de Fortaleza, onde cria um laço fortíssimo de amizade com seus integrantes e onde passa a ir anualmente para trocar conhecimentos;
  • Em 2008, mais uma transferência, dessa vez para a Acadêmicos do Cubango, onde mais uma vez ofertou a escola com um belo desfile e notas máximas. Nesse mesmo ano, Ricardinho foi conhecer Florianópolis e acabou conhecendo toda a comunidade da escola Protegidos da Princesa, onde fez grandes amigos e participou de alguns ensaios de bateria trocando e passando algum conhecimento;
  • No carnaval 2009, foi convidado a retornar à escola que o projetou, a Paraíso do Tuiuti, e mais uma vez fez um grande trabalho pela escola, sendo agraciado com mais um Prêmio Jorge Lafond.

Além de todo esse trabalho ao longo da última década, Ricardinho tem mais de 150 desfiles na Marquês de Sapucaí, e na Intendente Magalhães, tocando tamborim (seu forte), outros instrumentos da bateria, ou ainda ajudando mestres amigos apresentando suas baterias e fazendo trabalho de harmonia de bateria, pois ele tem muitos amigos no meio do samba que o respeitam como amigo e mestre;

  • No carnaval 2010, Ricardinho mais uma vez conduziu a bateria da Paraíso do Tuiuti, conduzindo seus 220 ritmistas em mais um apoteótico desfile e mais uma belíssima apresentação da bateria. O belo ano de 2009 trouxe uma grande participação de alunos do TS na bateria da escola, sendo contabilizados mais de 120 alunos na bateria, dentro dos 220 que desfilaram. O resultado não poderia ser outro: mais quatro notas DEZ para o currículo e o reconhecimento das arquibancadas que brincam muito com a nossa bateria.

E é esse jovem mestre, porém muito experimentado que conduz com muita firmeza e seriedade o Projeto Tamborim Sensação. As aulas são oferecidas na quadra do G.R.E.S. Paraíso do Tuiutí().

O projeto conta com a participação de colaboradores sensacionais, que aliás fazem muito a diferença nesse trabalho. Tio Luís, com vasta experiência comandando alas de tamborim e dando aulas no projeto exerce com muita competência a sua função nas turmas 1 e 2 de tamborim, sendo assim uma unanimidade perante os alunos. Ainda temos o Nílton, que dá aulas de cuíca, que tem feito ao longo dos últimos anos um grande trabalho de ressurgimento das cuícas em baterias no Rio de Janeiro, com mais de 30 alunos esses dois últimos anos, e ainda o experimentado Sidicley que dá aulas de agogô em nosso projeto, que coordenou durante muitos anos a famosa ala de agogôs da bateria da Império Serrano. Nesse ano, tivemos o ingresso da querida Fernanda Maura, ex aluna do TS que está dando aula de chocalho e além deles, nosso Polinho que trabalha diretamente com o Ricardinho nas aulas de percussão, que é um jovem promissor, responsável, competente e talentoso em sua aplicação nas aulas.

Depois de quase uma década, o projeto se solidificou. O grupo leva a frente essa responsabilidade de formar novos ritmistas para o carnaval carioca. Aqui não existe lugar para estrelismos ou auto-promoção. “Tudo é discutido e decidido em grupo, em prol sempre dos alunos. O projeto tem dado tão certo que ao longo desses anos de difícil caminhada, mais de 2000 alunos já passaram pelos nossos ensinamentos, com boa parte deles conseguindo desfilar em escolas de samba dos grupos Especial, A, B, entre outros, e até mesmo no carnaval paulista, o que é muito gratificante para nós”.

Além disso, o projeto cresceu tanto que hoje é reconhecido por vários Mestres de bateria do Rio de Janeiro que nos dão apoio inclusive deixando nossos alunos desfilarem em suas escolas, Presidentes de Escolas, Entidades e Associações do Samba e Cultura, mídia e amantes do samba espalhados pelo mundo que nos mandam e-mail e cartas elogiando o trabalho que fazemos. Sem falar no projeto BAQUETA de Fortaleza que usa os mesmos moldes de ensinamento do Tamborim Sensação, com o Ricardinho dando acessória técnica ao trabalho desenvolvido lá.
O TS possui também produtos próprios como vários modelos de camisas, camisetas, bonés, CD e DVD de aula, adesivos, chaveiros, baquetas, tamborins, bolsas de tamborim, cuícas, talabartes e outros produtos.

E como se não bastasse tudo isso, o TS também é social. Temos uma missão, social, não podemos ver as pessoas passarem necessidades e nada fazer. Temos a obrigação de pelo menos tentar ajudar. Preocupado em exercer seu papel social, o TS procura se envolver em campanhas para levantar alimentos, agasalhos ou até mesmo promover festas beneficentes para grandes sambistas desamparados. Se você leu e gostou do nosso trabalho, venha nos conhecer o trabalho que Ricardinho e a equipe TS estão fazendo à frente desse projeto maravilhoso. A batida está tão boa que dá vontade para quem assiste de aprender a tocar o instrumento e participar das aulas e do projeto. “É só questão de querer, venha conferir todo o nosso trabalho pois o clima é excelente, as pessoas se entrosam e ficam grandes amigos, além de que as aulas são para qualquer idade”.

Depois disso tudo, é só pegar seu instrumento e mandar ver na performance.

O TS foi feito para vocês, aproveitem !!!